Fale Conosco

De Dentro do e-commerce World!

Passo ponto Virtual- coisas que me deparo por ai….

Loja virtual a venda? com tudo? inclusive estoque? eu heim…

Publicado

Em

Solange Oliveira_Passo o pontoEm minhas andanças pela internet me deparei com o seguinte anuncio ( no Google),

Vendo loja virtual de Lingerie! pronta! com imagens, estoque e tudo mais…

é um PASSO O PONTO VIRTUAL… Primeira vez que eu vejo isso!

Acho bacana o incentivo ao comercio virtual… mas se você viu esse anuncio e se animou entenda o que não esta escrito!

http://venda.lingeriecenter.com.br/?gclid=CKXc9tjYup0CFdpb2godETPp0Q#_Toc239218148

para ter um loja virtual é preciso ABRIR a loja virtual!

Toda mercadoria vendida pela internet precisa de nota fiscal acompanhando o produto! e PONTO!

Não tem jeitinho, não tem ” ninguem percebe” Acredite – O governo esta de olho e o Big Brother do varejo (SPED)  já esta em funcionamento…

leia em http://ecommercegirl.com/?p=293

Quem compra um ponto de varejo normalmente tem que levar o CNPJ Junto.

No anuncio acima, não vi menção a empresa virtual CNPJ.

E se tiver – é preciso investigar dividas trabalhistas e fiscais.

Eu convido o dono do site que esta a venda para um post aqui – Eu publico! se o modelo dele for economicamente viavel e fiscalmente correto – dou meu SELO de E-commerce Girl aprovou!

É a segunda onda do comércio virtual – A Liquidação DE lojas virtuais e não NAS Lojas virtuais!

Essa internet… todo dia um formato novo de negócio…


Vendo site de Lingerie Pronto!

Continue lendo
7 Comentários

7 Comments

  1. Marcelo

    outubro 13, 2009 em 8:06 pm

    Vender produto eletronicos e informatica sem nota compensa mais, por isso ele esta se desfazendo do site de langerie.

  2. Daniel Jorge de Freitas

    outubro 15, 2009 em 11:25 am

    Concordo com a sua análise. Ainda que seja um ponto virtual, isto gera consequências empresariais, tributárias e trabalhistas.
    Sob o aspecto jurídico, entendo que o simples fato de assumir o ponto, independentemente de atuar sob o mesmo CNPJ e razão social, é suficiente para caracterizar a sucessão e consequentemente “ganhar” eventuais dívidas empresariais, tributárias e trabalhistas anteriormente existentes.

  3. Filipe Boldo

    outubro 16, 2009 em 11:20 am

    Não concordo com sua análise.
    A loja é administrada por uma Ltda e a administradora está vendendo a marca, o estoque completo, o software de ecommerce juntamente com a base de produtos cadastrados, o que pode significar todo o negócio desta empresa ou não. É obrigação do comprador ter um CNPJ para assumir a loja virtual para emissão de nota fiscal e outros encargos jurídicos e continuar operando. Aliás, essas informações, como transferência de CNPJ ou se administração desta passará para outra empresa, são detalhes da negociação que, só porque não foram citadas no anúncio, não significam que não serão cumpridas (e todo mundo é inocente até que se prove o contrário).
    Além disso, isso não é novidade. Compra e venda de negócios on-line – desde lojas virtuais até sites de conteúdo – são comuns, já li anúncios desse tipo desde alguns anos atrás.
    E por isso, acredito que não é um negócio ilegal e muito menos um novo formato de negócio.

  4. marcio waldman

    outubro 18, 2009 em 6:14 pm

    muito interessante as colocações dos colegas acima, e fundamental é o ponto levantado que todo mundo é inocente ate que se prove ao contrario, fato que tb concordo.

    Porem como administrador de loja virtual (e-commerce) eu imaginava que isso iria acontecer daqui a alguns anos, com a entrada de muitos empresarios no e-commerce (por varios motivos, desde a publicidade exagerada como a ideia da panaceia do ecommerce) eu imaginava que daqui a alguns anos iria ter um “monte de ecommerce” a venda.

    Quem for comprar o ecommerce à venda nesse post, que se precavina juridicamente de qualquer problema e avalie se realmente o negocio é bom ou não.

    Eu sinceramente acho que tem certos nichos de ecommerce que ja estao comecando a ficar saturados de concorrentes (alguns de peso!) e isso tb deve ser analisado pelo comprador do e-commerce.

  5. E-commerce Girl

    outubro 18, 2009 em 8:38 pm

    Meu querido aluno esperto… é verdade…

    Concordo em Genero , Numero e Grau… acho que vou ter que aumentar para TOP 10!!!

    Abs.

  6. Henrique

    dezembro 8, 2009 em 11:40 pm

    O blog é interessante e com bom conteúdo.
    Sobre o artigo “Passo ponto Virtual- coisas que me deparo por ai….” não achei elegante colocar o anúncio e ainda com os dados completos da citada loja virtual. Como o blog é bem prestigiado e bem pesquisado em motores de busca esse artigo exposto dessa forma deixa o proprietário da loja virtual em uma situação desfavorável mesmo que lhe seja dada oportunidade de se manifestar. O tema gera dúvidas mas acredito que se deve analisar de forma específica cada caso e diferenciar uma loja virtual de empresas claramente estabelecidas no mercado de pequenas lojas virtuais de pessoa física ou mesmo pequenas empresas. Certamente a natureza do produto também deve ser considerada e há produtos que jamais devem ser comercializados sem nota ou controle. Mas atualmente pelo Simples Nacional, o MPI microempresário individual está desobrigado a emitir nota e isso se aplica não apenas a lojas físicas. Dessa forma a internet oferece oportunidade para pequenos comerciantes e pessoas físicas estabelecerem suas próprias lojas virtuais, não se restringindo apenas ao uso de sites como o Mercado Livre. É difícil analisar de forma generalizada, penso que é preciso verificar caso a caso para saber se a loja virtual opera corretamente ou não. Ninguém melhor para fazer isso que o próprio cliente.
    Parabéns pelo blog.

  7. E-commerce Girl

    dezembro 15, 2009 em 9:04 am

    Olá Henrique,
    Em primeiro lugar, obrigada pelo elogio.
    Em segundo lugar – foi comunicado ao proprietario da loja virtual que seria feito o comentário que fiz.
    Divulgou a loja dele – e ele já vendeu!
    Meu site gerou mais de 300 visitas ao anuncio dele.

    A midia digital tem dessas coisas.. não publico nada sem avisar os proprietarios – até as criticas! e por vezes as criticas sao encomendadas pelos proprios donos das lojas virtuiais.
    Abraço

    E-commerce girl

Deixe um recado

O seu endereço de e-mail não será publicado.

consultoria

E a revolução continua! ela é silenciosa mas poderosa – Reebook lança seu próprio e-commerce B2C

Fábricas montam seus próprios e-commerce´s e preocupam lojas especializadas, shoppings e supermercados.

Publicado

Em

Nós temos observado que as fábricas se renderam ao e-commerce, leia sobre a loja virtual da Coca Cola ,  e tem se aventurado a vender diretamente ao consumidor.

Algumas perguntas nos vem a cabeça:

  • Isso será um desastre para supermercados e lojas especializadas ( nesse momento vistos como revendedores ?)
  • Os preços das fábricas certamente conseguem ser melhores do que dos revendedores, então será um atrativo comprar diretamente da fábrica online? isso não vai prejudicar os revendedores? que são parte importante, senão essencial,  do faturamento das fábricas?
  • O que fará o consumidor preferir comprar da fábrica?

Tudo isso é novo, e como tudo que é novo promove dúvidas. O fato é que  supermercados, shoppings  e lojas especializadas precisam se  modernizar e pensar nos canais digitais com mais “carinho”; as fábricas pensaram.

E-commerce da Reebok chega ao Brasil | TI INSIDE Online – WEB INSIDE

A Reebok lança seu primeiro e-commerce no Brasil nesta quarta-feira, 15, A nova plataforma online, que é de propriedade da Reebok Global, foi desenvolvida pela própria marca ( outra tendência – plataformas devem ficar atentas )  e faz parte da sua estratégia de expansão no país.

O mix de produtos conta com cerca de mil opções entre calçados, vestuário e acessórios, distribuídos entre feminino, masculino e infantil – para modalidades esportivas (linhas de performance) ou os clássicos (Reebok Classic).

Um dos destaques desta novidade é o CrossFit Nano 7, bastante aguardado pelos praticantes do esporte e que também tem seu primeiro dia de venda no país nesta quarta-feira. Por outro lado temos os clássicos da Reebok Classic, que buscam sempre aliar conforto e estilo.

Oe-commerce fará entregas para todo o país. “O lançamento desta plataforma digital faz parte da estratégia de ampliação da distribuição da marca no país, para que mais consumidores tenham acesso aos nossos produtos”, explica Jaume Casas Alvarez, diretor de marketing da Reebok para o Brasil. Recentemente a marca inaugurou sua primeira loja própria no Shopping Eldorado, em São Paulo.

Carimbo evision2-03

baixe agora portfolio evision

Continue lendo

De Dentro do e-commerce World!

Mais um…conheça o “Zé Delivery” o e-Commerce da Ambev

Ambev entra no e-commerce B2C e promete entregar cerveja em até 1 hora! Supermercados precisam contra-atacar!

Publicado

Em

O nome é até engraçado, Zé Delivery! isso é mesmo , esse é o e-commerce que a AMBEV acabou de lançar , na verdade o site entrou no ar em dezembro, teve alguns probleminhas mas já esta a todo vapor!

O Zé delivery vende as principais marcas de cerveja da AMBEV para os Paulistanos! (por enquanto o serviço está atendendo somente a algumas regiões de São Paulo, como Jardins, Itaim, Vila Nova, Vila Olímpia, Vila Mariana, Moema e Brooklin) .e também tem um APP , super simples de usar.

ecommerce da ambev entrega cerveja em uma hora solange oliveira opina

O bacana é que todo projeto digital tem uma forma de comunicação bem popular e diferente dos e-commerces certinhos que hoje atuam no mercado.

A Ambev já atua no e-commerce com o Emporio da Cerveja , e-commerce administrado pela B2W essa loja possui acessorios e até energéticos.

Essa é mais uma “dor de cabeça” para os supermercados, que precisam entrar de vez no varejo digital , e tem que ser rápido!

( conheça também o e-commerce da Coca Cola – clique Aqui

Conheça > https://www.ze.delivery/

 

Continue lendo

consultoria

Até tu Coca-Cola?

Marca Icônica de refrigerantes agora vende direto ao consumidor pelo seu e-commerce.

Publicado

Em

E agora é oficial! Coca Cola tem sua própria loja virtual.

“O e-Commerce esta seduzindo as fábricas , que vendem direto ao consumidor, supermercados e distribuidores terão que se reinventar”. Solange Oliveira

O rumor já vinha se espalhando no mundo do e-commerce há algum tempo, e quem é da área já esta percebendo esse movimento : As fábricas usando o e-commerce para vender diretamente ao consumidor, sobretudo a área de alimentos.

Por enquanto, a loja virtual aceita apenas encomendas com CEPs válidos na cidade de São Paulo e oferece diferentes versões das marcas Coca-Cola e Schweppes. Apesar de nova no Brasil, a iniciativa já foi aplicada pela companhia em outros mercados, como Estados Unidos e Índia.

Os cases de marketing da Coca-Cola são reconhecidos e estudados pelo mundo nas escolas de negócio, e no e-commerce não é diferente: A experiência já começa com uma personalização da garrafa, seguindo o conceito de “Quem faz diferente , Ganha!”

ecommerce coca cola revolucionando o ecommerce solange oliveira

Você pode comprar ainda as versões Vanilla , Cherry e Schweppes.

Coca cola ecommerce

 

Essa é uma tendência que temos que observar de perto , as fábricas ( alimentos )  vendendo diretamente ao consumidor! os preços são diferentes aos praticados pelos supermercado, é verdade, então o que faz com que os consumidores comprem online? A resposta é tão simples quanto complexa : – Serviços agregados ou diferenciados; como esse de personalizar a garrafa de Coca-Cola ( já fiz a minha…rs ), e a admiração à marca.

São os novos movimentos do e-commerce Brasileiro.

Coca-Cola é isso aí!

Acesse e conheça : http://loja.cocacola.com.br/

Querendo entender mais como o e-Commerce pode ajudar sua marca a crescer e aparecer? Consulte a e-Vision !

 

 

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Title

Trending