Fale Conosco

Uncategorized

Quer vender on-line? 5 segredos para o sucesso (Siga o modelo Zappos de ser on-line)

Publicado

Em

zappoEu trabalho com e-commerce há muito tempo, e sempre me pergunto o que faz um projeto ser diferente do outro?

Qual o segredo do sucesso?

Essa semana foi anuncia a venda da Zappos para a Amazon por ( não cáia da cadeira ) US$ 927,9 Milhões!

Para os que não conhecem, a Zappos é o melhor e-commerce do mundo! o que ele vende?  Sapatos! e outras coisinhas…

O que fez da Zappos o melhor e-commerce da Galaxia? o que o diferencia de todos os outros e-commerces por ai? o que fez a Amazon pagar US$ 927,9 milhões por um site que tem pouco mais de 9 anos?

EU QUERO SER ZAPPOS – O QUE EU DEVO FAZER?

Bom, acredito que a formula não seja tão simples – senão todos nós já a teríamos imitado! Porém existem 5 segredinhos que quero compartilhar com vocês! e que são um pouco diferentes dos manuais de e-commerce que existem na internet.

Primeiro Segredo : A Inovação!

A Zappos ficou conhecida por sua estratégias inovadoras principalmente  em redes sociais. A empresa possui uma página no Twitter que reúne os tweets e fotos de 431 funcionários, além de citações públicas sobre a marca. A página inclui o Twitter de Tony Hsieh, que possui mais de 700 mil seguidores.  Alias o famoso CIO da Zappos Hsieh estará no Brasil para uma palestra no evento Digital Age 2.0 nos dias 26 e 27 de agosto, em São Paulo; pela bagatela de R$ 2.000,00 você pode se increver para sua palestra!

Inovar custa dinheiro e requer planejamento e profissionalismo – não tenha medo de inovar!

Não sabe o que fazer? contrate empresas que já estão há muito tempo fazendo isso, e que podem ajudar na inovação da venda do seu produto! www.ikeda.com.br

 

Segundo Segredo: O Site da Zappos é muito informativo! E tem imagens sensacionais!

O Site da Zappos www.zappos.com  tem SETE VISÕES (imagens ) dos produtos – nenhum e-commerce do Brasil tem! nem os de moda onde diversas visões do produto fazem diferença na hora da compra.  As fotos dos produtos são de excelente qualidade , faça um tour e veja se ficam dúvidas sobre o que você tem desejo de comprar.

Não substime o seu cliente, deixe ele degustar o produto faça imagens do produto que você vai vender com no mínimo 750 Pixels, use 3D, movimentos isso vai atrair o cliente.

Tenis Golfhttp://www.class-solutions.com.br/eCommerceMidia.aspx

 

  Terceiro Segredo: A categorização, hierarquias  e a descrição dos produtos no Zappos foram feitas com cuidado e capricho; você sempre encontra o que quer, isso é Gerenciamento de Conteúdo!

Se você esta construindo um e-commerce , eu aposto que nunca ninguém te disse que a categorização é uma das chaves de sucesso de um e-commerce!

Para exemplificar : Um dos maiores sites de e-commerce da America Latina tem todos os tipos de televisores em LCD, mas procure televisão LCD ou TV LCD ou suporte para TV LCD – não vai encontrar! sabe porque? a categorização não esta cuidadosa – você encontra apenas Televisores.

Para nomear um produto deve-se levar em consideração não apenas a relação do nome com o produto, mas também a convenção adotada comumente para objetos desse tipo, isto permitirá que o mesmo tipo seja facilmente encontrado pelos mecanismos de busca (Google, Bing, etc) e até mesmo pelos próprios clientes do site de e-commerce. E a Hierarquia,  Define como os produtos serão organizados na árvore lógica que permitirá sua busca no site. Este processo busca organizar os produtos para serem localizados de forma intuitiva pelos clientes. Uma hierarquia bem definida permite que o cliente seja conduzido ao produto que está procurando através das categorias utilizadas. Gerenciar conteúdo é trabalhoso, se você não tem uma equipe interna para fazer isso, contrate os serviços de uma empresa especializada. http://www.idoc.inf.br/

 

Quarto segredo : Mix de produtos variado e ofertas exclusivas!

A Zappos tem mais de 1.000 marcas ofertadas em seu site, com no minimo 5 modelos de cada marca – Faça as contas!

Vender na internet é volume!  não tenha um e-commerce para 3 tipos de produtos – A não ser que esse produtos tenham um valor referencia diferenciado como,  joias, apartamentos , produtos de luxo.

Se você fabrica o que vai vender online  não caia na armadilha de criar um e-commerce apenas para ‘desovar” o estoque parado. Eventualmente você poderá incluir esses produtos na oferta, e os preços devem ser atraentes,  mas não pense em viver disso on-line.

Mas veja, se você é super especialista em um produto específico e o faz com maestria, pode começar vendendo apenas esse produto, mas planeje aumentar o mix para não cair no esquecimento do cliente.

Quinto Segredo:  O Frete!

Nunca cobre frete de devolução do seu cliente, é antipático e faz com que o cliente não volte a e-loja.
Faça um P&L bem detalhado do seu  e-commerce e inclua projeções de  investimentos em fretes de devolução e também isenção de pagamento de frete para produtos com maior valor de venda.

No Brasil existe uma tendência em pensar que, quem compra um item com maior valor de venda – exemplo TV LCD de 50″ – não se importará em pagar o frete!

Errado!  o pensamento do consumidor é: Estou comprando um produto de R$ 17.000,00 e ainda querem em cobrar R$ 35,00 de frete?

Projete os volumes de venda e negocie com o a empresa que fará suas entregas, normalmente consegue-se negociar valores melhores para coletas planejadas e volumes  minuciosamente projetados.

E lá vai um conselho e, isso não é segredo para ninguém: Seja Simples! Tenha em mente o que você quer para o seu e-commerce e use de simplicidade para compor a sua oferta, as regras de negocio, o calculo de preços e fretes! a prova que isso funciona muito bem no varejo on-line é como  Jeff Bezos comunicou a compra da Zappos pela Amazon: Com um flip chart e um pincel atômico! Isso vai ficar para a história do e-commerce no mundo!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=-hxX_Q5CnaA]

Espero que tenha ajudado a entender porque um negócios on-line gerido profissionalmente,  atento aos detalhes e atenciosos com seus clientes podem em 10 anos valer alguns  Milhões de dólares!

Boas Vendas!

Continue lendo
7 Comentários

7 Comments

  1. Amauri Junqueira

    julho 28, 2009 em 3:53 am

    Solange

    Alguma dica para um site que oferece um serviço específico?
    Obrigado

  2. solange0307

    julho 28, 2009 em 12:06 pm

    Olá Amauri,
    Sim, me escreva e especifique o serviço talvez eu consiga te ajudar!

    Abs

  3. Maicon

    julho 28, 2009 em 2:04 pm

    Solange, meus parabéns pelo blog!
    O André Vita (LinkedIn) me indicou seu blog. O conteúdo é muito bom…vc escreve muito bem sobre o tema!
    Vou adicionar seu blog aos links favoritos do meu:
    http://www.e-commercetotal.com.br/

    Abraço!
    Até mais
    Maicon Hofman

  4. solange0307

    julho 28, 2009 em 2:37 pm

    Oi Maicon -Obrigada! tem sido um prazer desconhecido… todo dia no final do dia dividir meus pensamentos com vocês; e é também um exercicío para o livro que sai em outubro.

    Abraço!

    ah…já inclui o e-commerce tota na listinha de blogs sugeridos.

  5. Paulo Ojeda

    agosto 1, 2009 em 5:20 pm

    Olá Solange,
    Parabéns pelo blog e pelo post. Bem interessante e objetivo.
    Se me permite, gostaria de adicionar um sexto item a sua lista usando os comentários do Video do Jeff Bezos que foi postado: Obsessão pelo Cliente.
    De acordo com Bezos, a cultura de trabalhar e inovar em prol do cliente é o que a Amazon e a Zappos tem em comum e ao mesmo tempo é o principal diferencial da operação de ambas e pelo jeito foi o que encantou Bezos a ponto de adquirir a Zappos. Mas este tema é tão abrangente que pode até se tornar outro post. 🙂

    Tudo de bom,
    Paulo Ojeda

  6. solange0307

    agosto 1, 2009 em 10:53 pm

    É Verdade Paulo – já me pediram outro post falando das coisas a imitar da Zappos para o pequeno varejo.

    Na quarta feira proxima devo escrever algo sobre isso.

    Obrigada por me escrever!
    Abraço

    Solange

  7. Reinaldo Smoleanschi

    agosto 3, 2009 em 5:55 am

    Oi Solange!

    Muito interessante o seu comentário à respeito da qualidade das fotos dos produtos. Fiz faculdade de Fotografia em Israel e trabalho há muitos anos entre Rio e Nova Iorque. Com o crescimento das vendas pela Internet, fica muito claro, à meu ver, a necessidade de fotos de alta qualidade, uma vez que o comprador, na maioria das vezes, tem contato apenas virtual com o produto ou serviço. Tento explicar à potenciais clientes que vale à pena gastar um pouco mais por um bom fotógrafo profissional e melhorar as fotos de seus produtos (=maiores vendas) , mas a maioria prefere soluções caseiras (a camera de um primo) ou pagar barato e achar que aquelas fotos pobres em detalhes, contraste e cores resolvem o seu problema. Em muitas vezes, preço é o critério utilizados, sem levar em conta a qualidade e o maior retorno que ela pode trazer.

    Abraços e parabéns pelo blog!

Deixe um recado

O seu endereço de e-mail não será publicado.

De Dentro do e-commerce World!

Brasil é alvo diz ALIBABA

O Brasil na rota do e-Commerce Mundial

Publicado

Em

by MARCELO NINIO  DE PEQUIM para a Folha

“Somos uma força revolucionária”, diz Zeng Ming, estrategista-chefe do grupo Alibaba, a maior empresa de comércio eletrônico da China –e, em breve, a número um do mundo, preveem analistas.

A imodéstia de Zeng é explicada pelos números estratosféricos. Eles fizeram do Alibaba um fenômeno em constante crescimento desde sua criação, em 1999, época em que poucos na China sabiam o que era internet.

Jack Ma, fundadordo sitede e-commerce chinês Alibaba_ ecommercegirl.com

Jack Ma, fundadordo sitede e-commerce chinês Alibaba

 

Embora o sucesso não tenha se repetido no Brasil, onde o Alibaba desembarcou em 2010, Zeng afirma que o país tem potencial para ser um dos maiores mercados de e-commerce do mundo, e por isso é um dos alvos estratégicos da empresa.

“Pode demorar, mas os exemplos vão convencer os empresários brasileiros.”

“No início, ninguém acreditava na gente. Só quando os primeiros clientes começaram a receber grandes encomendas do exterior é que as pessoas começaram a aderir. Hoje, temos usuários em 200 países.”

O Alibaba não é um site para consumidores, mas uma espécie de comunidade de negócios que facilita a conexão entre empresários.

No jargão do setor, um modelo conhecido como B2B (business to business).

Segundo a revista “Economist”, que colocou a empresa na capa de sua edição mais recente, o grupo Alibaba movimentou US$ 170 bilhões em vendas no ano passado, superando as gigantes americanas eBay e Amazon somadas.

“Sem a estrutura e a tradição do varejo americano, mas com a tecnologia em rápida expansão, pudemos inovar e mudamos fundamentalmente a paisagem de negócios da China”, disse Zeng à Folha.

A inovação foi criar uma ferramenta que permitisse conectar pequenas manufaturas da China ao mercado local e internacional.

COGUMELOS

A mudança, afirma Zeng, não se limitou aos centros urbanos nem à indústria.

“Com a ajuda do Alibaba, pequenos fazendeiros passaram a vender mel, cogumelos ou tomates a fornecedores que estariam inacessíveis sem a tecnologia”, diz.

“O consumidor também ganhou. Com o aumento da oferta, os preços baixaram.”

Empurrado pelo interesse mundial pelo mercado asiático, o negócio criado pelo professor de inglês Jack Ma explodiu, indo além do B2B para gerar duas outras empresas de e-commerce.

Há duas semanas, Ma, 48, anunciou que deixará o cargo de presidente-executivo, em meio a especulações de que o grupo abrirá capital.

Analistas consultados pela “Economist” estimam que, com a oferta pública inicial de ações, o valor da empresa ficará entre US$ 55 bilhões e US$ 120 bilhões. Para efeito de comparação, o Facebook é avaliado em US$ 60 bilhões.

360graus_fotos_ecommerce_ecommercegirl.com

 

Continue lendo

E-commerce Girl NEWS

O Governo Diz NÃO para o e-Commerce

Decepção: Na contra mão do Mundo, Governo Brasileiro diz – e-Comercio Eletrônico não interessa ao Brasil

Publicado

Em

by Folha de São Paulo

Negócios

 relacionados a comércio eletrônico não terão prioridade no programa Start-Up Brasil, do governo federal, que prevê investimento de R$ 200 mil e apoio de gestão a empresas iniciantes.

É o que diz o secretário de política de informática do Ministério da Ciência e Tecnologia, Virgílio Almeida. Segundo ele : “Propostas como essa correm sério risco de ficarem sem aceleradoras e não serem aceitas. O que queremos estimular são softwares e serviços de TI para indústrias importantes, como a de educação, saúde e defesa”, diz.e, negócios apenas baseados na internet, como os de comércio eletrônico, não interessam devido à saturação e por não serem “estratégicos para o país”.

Na última quinta-feira, o governo lançou a segunda fase do programa, que vai apoiar até cem start-ups (empresas iniciantes de base tecnológica). As inscrições começam no próximo dia 31.

Serão quatro os critérios de escolha. O mais forte, com peso 4, será o modelo de negócios, no qual os interessados deverão mostrar qual o mercado a ser atingido, os possíveis concorrentes e o potencial de crescimento.

Depois será avaliada se a solução tem tecnologias inovadoras, com peso 3.

A qualidade da equipe terá peso 2 na avaliação e serão analisados o currículo dos participantes e a capacidade de executar o que propõem.

Por último, com peso 1, as start-ups deverão ter projetos alinhados com o Plano TI Maior. Os temas prioritários dessa iniciativa são educação, defesa, saúde, petróleo e gás, energia, sistemas aeroespaciais, grandes eventos esportivos, agricultura, ambiente, finanças, telecomunicações, mineração e tecnologias estratégicas.

Uma comissão com representantes do empresariado, do governo e da academia vai fazer a escolha. Além da verba de R$ 200 mil, as start-ups receberão um montante variável de investimento privado das nove aceleradoras que foram escolhidas para participar da iniciativa.

O programa também terá uma representação no Vale do Silício para divulgar as empresas participantes.na contra mão do e-Commerce eCommerce Girl

(por REINALDO CHAVES especial para a Folha )

 

 

 

Vagas para e-Commerce e Midia Digital

 

Continue lendo

Dicas E-commerce Girl

10 e-Commerces mais acessados do Brasil

O Ranking dos 10 comércio eletrônicos ( incluindo Compras Coletivas ) mais acessados no Brasil

Publicado

Em

ranking eCommerce Brasil eCommerce Girl

By Hitwise

No ranking de audiência a sites de comércio eletrônico divulgado pela Hitwise, unidade de pesquisa da Serasa Experian, o Mercado Livre se manteve como o serviço que mais teve visitas no país. Foram 10,11% de participação de mercado em fevereiro, mesma índice registrado no ano passado, seguido pela  Americanas, com 4,80% de market share em visitas (veja abaixo a lista completa). Na sequência aparece o Buscapé, com 3,47%, que saltou da sétima para a terceira colocação. O site tomou o lugar do Groupon, que ocupava a terceira posição em fevereiro de 2012, com 2,98%, mas caiu para o décimo posto neste ano, com apenas 1,86% de partcipação de mercado.

Outra mudança foi da Netshoes. A loja virtual de artigos esportivos caiu do quinto lugar, com 2,54% da audiência na categoria, para a sétima posição, mesmo ganhando alguns décimos de participação de mercado e somando 2,74% de share. O Magazine Luiza, que antes figurava na oitava posição, sequer apareceu entre top 10 deste ano.

Fontes de tráfego

As categorias de site que mais geraram tráfego para essas páginas foram “ferramentas de busca”, com 27,29% do volume de acessos, redes sociais e fóruns (17,52%), sites de e-mail (6,15%), lojas de departamento (5,50%) e recompensas e diretórios (3,67%).

Distribuição regional

A região Sudeste concentrou as visitas ao comércio eletrônico, com 61,42% da participação no período de 12 semanas, encerrado dia 2 de março. O Sul do país aparece na segunda posição, com 15,17%, enquanto o Nordeste, Centro-Oeste e o Norte ficaram com 12,14%, 7,74%, e 3,53%, respectivamente.

1. Mercado Livre (10,11%)

2. Americanas (4,80%)

3. Buscapé (3,47%)

4. Dafiti (3,35%),

5. Bom Negócio (3,05%)

6. OLX (2,78%)

7. Netshoes (2,74%)

8. Shopping UOL (2,52%)

9. Casas Bahia (1,87%)

10. Groupon Brasil (1,86%)

Vagas para e-Commerce e Midia Digital

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Title

Trending